sábado, 13 de maio de 2017

FELIZ DIA DAS MÃES!

Olá mãe dos meus visualizadores e visualizadoras.
Tudo bem com vocês?
Feliz dia das Mães! <3

Bom, neste domingo comemoramos o dia vocês, certo? Então não podia passar em branco sem alguma homenagem, não é? ^^
Apesar de ser um sujeito que não faz com frequência este tipo de coisa. Mas calma lá! Antes que vocês comecem a me xingar, vou explicar o motivo. Acredito que não homenageio muito as pessoas da minha família na internet por duas razões:
- primeiro, por que não gosto de expô-los aqui - mas não recrimino quem o faça.
- segundo, sou uma pessoa mais de atitudes do que palavras.
Por isso, hoje contarei uma bonita história que passei com a minha mãe Iani. Já havia contado brevemente esta história há dois anos atrás quando revelei o primeiro poema que escrevi na vida (no qual o repetirei mais a frente), mas, agora, contarei este dia mais detalhadamente.
Preparados para saber esta história? Então vamos lá! ^^

Lembro-me de estar no terceiro ano do Ensino Médio de uma escola particular, com meus - já completados - 17 anos de idade (faz tempo, hein? kkkkk), quando um grupo de alunos, querendo arrecadar dinheiro para algo que não me lembro, entrou na sala. A proposta deles era que nós comprássemos uma rifa que nos levaria até um sorteio onde o prêmio era um lindo vaso artesanal que seria entregue no dia da festa que a escola faria para as mães.
Pensando principalmente na felicidade que proporcionaria para a minha mãe, eu, mesmo sendo um sujeito azarado para sorteios, resolvi pagar o baixo valor da rifa e concorrer.
Na mesma semana, a dona\diretora da escola me abordou durante o intervalo e sabendo que eu escrevia, na época, peças de teatro para a igreja no qual congregávamos, me pediu para criar um texto para a festa do dia das mães. Relutei um pouco no início, mas como era para as mães, decidi aceitar em seguida. Com isso, fui para a pequena biblioteca de lá e em quinze minutos criei o meu primeiro poema na vida:

AMOR DE MÃE

O que é
O amor de mãe?
É amor verdadeiro
E primeiro.
É amor de fé.

É amor sincero.
Espero,
Que esse amor, nunca saia de nossos corações.
Que mesmo nas paixões,
Nós nunca esqueçamos esse amor.

É o amor que nos tempos
De infância
Ajuda-nos a superar
E lutar
Contra os ventos
Ruins que nos fazem derrubar.

Este e o amor de mãe
É o amor que todos nós gostamos
E dizemos a vocês, mamãe:
                                                      "NÓS TE AMAMOS"    

Após tê-lo finalizado entreguei para a Diretora e, ao lê-lo, ela achou tão lindo que, empolgada, disse que ia tirar várias cópias para entregar no dia.
Chegado o dia da Festa, como era de se esperar, todas as mães dos alunos se encontravam lá. Minha mente nunca foi tão boa, então, confesso que não me lembro das outras atrações, daquele momento. Só me recordo do instante em que a Diretora pegou o meu poema e, para a minha surpresa, pediu que eu o declamasse junto dela no microfone. Apesar da timidez diante de multidões que possuía, fiz e todas as mães, depois de lermos, estavam com lágrimas nos olhos, inclusive a minha que se encontrava visivelmente emocionada. Por fim, era o sorteio iria ser realizado! E adivinhe quem ganhou o vaso, cara visualizadora? Eu! :)
Depois de vários anos, digo com toda a sinceridade: este foi um dos melhores dias da minha vida! <3
Bem, o vaso como era feito de vidro não aguentou muito tempo e se partiu. Já o poema, mesmo em papel amarelado, é guardado com carinho pela minha mãe.

"Tem alguma moral nessa história, Guinho?", imitando o seus filhos nas perguntas hein? kkkkk
Bom queridas mamães, a única razão de ter contado esta história é para demonstrar o quanto amo a minha mãe e o quanto eu faço de tudo para vê-la feliz. Por que minha mãe não é só aquela que me gerou, que me criou, que cuidou de mim... enfim, essas funções que todos dão para as mães. Mesmo com todos os seus defeitos, minha mãe é minha amiga, minha conselheira, minha mentora, minha fã.... uma das pessoas que mais amo no mundo! <3




 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário