terça-feira, 27 de outubro de 2015

PARA REFLETIR...

A Cegueira do Amor

Contam que uma vez se reuniram todos os sentimentos e qualidades dos homens em um lugar da terra.
Quando o ABORRECIMENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre tão louca, lhe propôs:
- Vamos brincar de esconde-esconde?
A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada e a CURIOSIDADE sem poder conter-se perguntou:
- Esconde-esconde? Como é isso?
- É um jogo - explicou a LOUCURA - em que eu fecho os meus olhos, conto até um milhão, enquanto vocês se encondem; quando eu terminar de contar começo a procurá-los e o primeiro que eu encontrar ocupa o meu lugar no jogo.
O ENTUSIASMO dançou, seguido pela EUFORIA. A ALEGRIA deu tantos saltos que acabou convencendo a DÚVIDA e até a APATIA, que nunca se interessava por nada.
Mas nem todos participaram, a VERDADE preferiu não se esconder:
- Para quê se no final todos me descobrem? - pensou a VERDADE.
A SOBERBA opinou que era um jogo muito tolo (no fundo o que a incomodava era que a ideia não tinha sido dela) e a COVARDIA preferiu não se arriscar.
- Um, dois, três... - começou a contar a LOUCURA.
A primeira a se esconder foi a PRESSA, que como sempre, caiu da primeira pedra do caminho.
A subiu ao céu e a INVEJA se escondeu atrás da sombra do TRIUNFO, que com seu próprio esforço tinha conseguido subir na copa da mais alta árvore.
A GENEROSIDADE quase não conseguiu se esconder, pois cada local que achava lhe parecia maravilhoso para algum de seus amigos, ao contrário do EGOÍSMO, que encontrou um ótimo lugar só para ele.
A MENTIRA se escondeu no fundo do oceano (Mentira! Foi atrás do arco-íris).
O ESQUECIMENTO, não me recordo onde se escondeu...
Quando a LOUCURA estava lá pelo 999.999, o AMOR ainda não havia achado lugar para se esconder, pois todos estavam ocupados. Até que encontrou um roseiral e decidiu ocultar-se entre as rosas.
- Um milhão! - terminada a contagem, a LOUCURA começou a procurar.
A primeira a aparecer foi a PRESSA, apenas a três passos de uma pedra. Depois escutou a , discutindo com DEUS sobre zoologia. Em um descuido encontrou a INVEJA e, claro, pode deduzir onde estava o TRIUNFO.
O EGOÍSMO não precisou ser procurado, saiu correndo de seu esconderijo, que era um ninho de vespas.
A DÚVIDA foi mais fácil ainda, encontrou-a sentada em uma cerca sem decidir de que lado se esconder.
E assim foi encontrando a todos: o TALENTO, nas ervas frescas; a ANGÚSTIA, em uma cova escura... apenas o AMOR não aparecia. Quando a LOUCURA estava dando-se por vencida, encontrou um roseiral, pegou uma forquilha e começou a mover os ramos. No mesmo instante, ouviu-se um doloroso grito. Os espinhos tinham ferido o AMOR nos olhos.
A LOUCURA não sabia o que fazer para se desculpar-se; chorou, rezou, implorou e até prometeu ser o seu guia.
Desde então o AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha.


domingo, 25 de outubro de 2015

PEQUENA AJUDA - AMOSTRA

Capítulo 1
Um Homem Fracassado

O barulho irritante do despertador do rádio relógio e a luz do sol que invadia aquele quarto fizeram um homem abrir os olhos com dificuldade. Ao abri-los, os coça para sentir se ainda estava vivo ou se tinha ido para o chamado “lugar melhor”. Percebendo que ainda estava na Terra, se levanta e, após desligar aquele som insuportável, dá uma espreguiçada.
Apenas de cueca e usando uma camiseta branca que tinha a seguinte estampa: ‘TE AMO, BASTIAN’ dentro de um grande coração, ele, passando pelo quarto escuro, vai meio sonolento até o banheiro.
Como era próximo ao cômodo anterior, liga uma das suas luzes e entra. Depois de fazer suas necessidades fisiológicas, fica diante do espelho. Lá vê um homem de aparentemente quarenta e cinco anos, com cabelo grande desgrenhado, barba por fazer e marcas roxas por debaixo de seus olhos. Ele, após lavar seu rosto sonolento e olhar seu reflexo, diz:
- Você é um fracassado.
Após escovar seus dentes, pega dois frascos dentro do armário de onde o espelho estava acoplado e, ao desligar uma das lâmpadas do pequeno cômodo, sai de lá.
Com os frascos na mão, vai até o pequeno balcão de bebidas que ficava próximo a uma das janelas grandes da ensolarada sala. De lá, retira um copo grande e uma garrafa de conhaque. Depois de encher o copo e tirar alguns comprimidos de Citalopram e Alprazolam, os toma junto com a bebida.
Em seguida, deixa os frascos, a garrafa e o copo em cima do balcão e vai até o quarto. Veste uma calça moletom verde que estava jogada no chão e para não sentir frio, joga um roupão branco, porém quase cinza pela sujeira que estava sobre o espaldar de uma cadeira, por cima das costas.
Estando vestido e “agasalhado”, volta para a sala. Pega o copo e a garrafa e os coloca em cima de uma mesinha próximo a uma poltrona de couro vermelho. Antes de sentar caminha até toca-cd e se prepara para apertar o play, pois o CD já estava no aparelho. Porém, quando ia aproximando o dedo do botão, um barulho interrompe: gritos, vindo lá de fora.
Incomodado, vai até a porta branca de madeira e, após destrancá-la, abre-a. Ao fazer isso, nota uma moça que aparentava vinte e seis anos e uma menina, com o rosto todo vermelho de tanto chorar. Ao vê-los, ele deduziu que fossem mãe e filha.
Logo que abriu a porta, elas pararam de discutir. A mãe, que aparentava ser latina, disse com um forte portunhol:
- Desculpa senhor! É que minha chica não quer ficar sozinha e tengo que trabajar!
Ele, por estar incomodado com o barulho, olha para elas com uma expressão séria. Mesmo assim, entende o argumento da moça, dizendo:
- Tudo bem. Só não façam tanto barulho, tá?
A moça, parecendo uma oriental, se prostrou repetidas vezes diante dele e em seguida, ordenou a sua filha:
- Vamos Sofia!

Antes de obedece-la, a menina olha para ele junto a sorriso encantador. Aquela demonstração de simpatia causa um medo no homem que, sentindo-se um bicho assustado, fecha a porta sem se despedir de ninguém. Para se acalmar finalmente aperta o play do toca-cd e um jazz deprimente é ecoado naquele cômodo.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

DIA DE TRISTEZA

ESTOU TRISTE

Hoje estou triste
Sem coragem de sorrir.
Hoje meu mundo está sozinho
Porque você não está aqui.

Ando na rua
Não há ninguém.
Vou ao colégio
E não vejo alguém.

Volto pra casa
Sento perto da cama
E começo a chorar
Com a falta que você me faz.

Espero seu sorriso.
Espero sua presença
A me animar.
Hoje estou triste
E preciso te amar.





domingo, 18 de outubro de 2015

LAÇOS DE CASAMENTO - AVISO!

Olá pessoal que me acompanha aqui no blog. Tudo bem? Sei que anteriormente em um de meus vídeos disse que o site da editora Casa Cultura não está ainda apto para compras na internet. Entretanto, como tive alguns pedidos de pessoas de fora de Taubaté, resolvi antecipar a venda por aqui. Para quem está interessado e quer mais informações sobre a compra do livro LAÇOS DE CASAMENTO, comenta esse post, pode falar comigo pelo inbox no FACEBOOK ou no Whats. OBRIGADO! ^^ 

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

POEMA NARRATIVO

Para mim: EU TE AMO!

Uma vez me interrogavas: Você me ama? Essa interrogação consumia-me diariamente meu pensamento. Então, mesmo com inúmeras noites mal dormidas, não achei a resposta: Apesar disso, quero lhe dizer: Amo-te mais do que amo-me.
Amo sua voz por que ecoa o mais fundo precipício do meu coração e é a melodia mais maravilhosa da existência humana que já ouviu. Amo seu sorriso que ensolara meu dia chuvoso, amo seus beijos que umedecem os meus lábios com o mel mais adocicado e gostoso da colmeia, Amo sua pele que é a seda mais suave, amo seu corpo que é a forma mais bonita já vista na face da Terra e amo seu olhar que é a entrada para o caminho do seu coração.
Perto de você, vivo a felicidade surreal; longe de você vivo a tristeza melancólica... sou solitário... sem rumo e sem vida. Olho no relógio, a vontade que me dá é atirar nele e matar o tempo só para estar do seu lado o mais rápido possível.
Ouço nossa canção favorita, logo chega ao meu pensamento bons momentos do amor que vivemos, viveremos e vamos viver. Passa também pela minha mente as brigas e as reconciliações de três dias e à vontade de estar com você de novo. Por que nosso amor nunca virará poeira, pois é a rocha que fortalece e o tranco para que minha vida continue feliz,
Deito no travesseiro e sonho com você descendo do céu, como um anjo e eu, sentado no lugar mais divino - meu Jardim do Éden. Lá, abro o jornal e leio a notícia: EU AMO VOCÊ! Perto de mim, no mar azul-turquesa vejo muitas garrafas. Pego uma delas e leio a mensagem de dentro: AMO VOCÊ! Isso só faz ter certeza de uma coisa. Que o panorama da minha tem que ter: VOCÊ, VOCÊ e VOCÊ! 
Seus passos até mim é o motivo para meu coração disparar com fervor e mil acasos para te amar.
No final, digo-lhe, não com minha boca, mas com o meu coração:
TE AMO E NÃO SE VÁ!