sábado, 1 de dezembro de 2012

HOMENAGEM A MINHA PRIMA QUERIDA

Caros amigos que leem este blog, queria, primeiramente, desculpá-los pela minha falta de notícia aqui e explicar o porque deu não ter mais escrito nada aqui. É que aconteceram muitas coisas no meio deste ano - morte da minha tia, doença do meu pai, a minha preocupação em relação ao meu futuro e a auto-avaliação de quem era meu amigo ou não, por isso é que dizem, que nos piores momentos você sabe, quem é seu amigo, - e estas coisas me fizeram, melhor dizendo, me fazem bloquear em relação a que escrevo. Por causa disso, eu estou com um livro não terminado e muitas frustrações a minha volta.
Mas mesmo tendo tudo isto, eu não podia deixar de homenagear uma pessoa muito especial para mim, que esta semana vai ganhar um presente enviado por DEUS - sua filha Ana Beatriz.
Esta pessoa é a minha prima Kátia.
Nós, antigamente, tínhamos problemas no relacionamento, mas com o passar do tempo, eu descobri uma pessoa divertida, legal, simpática e que alegrava tudo que via pela frente.
Por esta razão, eu publico aqui um poema que fiz a ela a muito tempo, como forma de homenagem e desejo a ela e sua família muitas felicidades com a chegada da Bia, que DEUS os abençoe muito.

KÁTIA OU CÁTIA


Com C ou com K,
O que importa errar?

A menina espoleta
Que adora fazer careta!
Uma pessoa contente
Que adora alegrar a gente!
Garota feliz,
Que pra vida, sempre pede “bis”!
“Cabeça-de-Vento” com responsabilidade
Que nos ajuda a encarar a verdade.
Também, essa menina, dança na cabeça da tristeza
E não a dando moleza
Para ela entrar de maldade
Fazendo-a chorar com vontade!

O que esse nome te faz lembrar?
Melhor dizendo, o que esse nome pode significar?
Prima, Filha, Amiga, Mulher, Confidente, Recepcionista, Grande pessoa, uma zombadora...

Por isso, com C ou com K,
O que importa errar?

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Saudades!

Tia, eu queria dizer que neste momento sinto saudades de tudo mesmo!
Saudade de quando assistíamos aos jogos do Corinthians e quando eu podia xingar o juiz e aos jogadores que jogavam mal.
Saudade de quando você me xingava por uma besteira que eu fazia. Até me sentia mal no começo e ficava com raiva de você, mas depois de uma semana, eu esquecia e voltava para a sua casa.
Saudade dos beijos e abraços que você me dava, eu não gostava muito, mas nunca os recusava.
Saudade de quando você dizia que estava ficando bonito, mesmo eu me sentia o homem mais feio do mundo.
Saudade dos seus conselhos duros, que a maioria eu não os escutava, mas eles mostravam que você gostava de mim.
Saudade das brincadeiras que fazíamos com os nossos parentes, falando mal deles.
Saudades das brigas que você me contava que tinha, mas de uma forma humorada.
Saudade de estar com você, quando o meu mundo desmoronava e você sempre me aconselhava, mesmo eu não falando nada.
Por fim, saudades de você tia Maria Benedita de Gouvêa!
Vá em paz!!!
Eu te amo!