domingo, 18 de junho de 2017

QUERO TER...

A Arte da Meditação (Autoestima) - Aprenda a tranqulizar a mente, relaxar o corpo e desenvolver o poder de concentração
(Daniel Goleman)
Ano: 2005 / Páginas: 47
Editora: Sextante
Gênero: Autoajuda
Sinopse: Talvez o efeito mais importante da meditação seja a paz interior, um refúgio onde você pode escapar da turbulência do dia-a-dia.
O hábito de meditar diariamente vai lhe ajudar a desligar-se do estresse e lhe trará calma e energia para você enfrentar melhor os desafios da vida.

Há vários tipos de meditação, e você vai aprender quatro técnicas no CD que acompanha este livro. Experimente cada um durante algumas semanas até descobrir a sua preferida.

A Filha do Norte - Parte 2
(Luisa Soresini)
Ano: 2017 / Páginas: 324
Editora: Arwen
Gênero: Fantasia
Sinopse: Depois de ter sofrido muito no passado, Michelle agora vive ao lado dos irmãos Vergamini, que foram amaldiçoados há cem anos por Elza e Meredith, as Bruxas do Leste e do Sul. Os monstros — como são vistos — a protegem com todas as forças depois de terem se apaixonado por ela. Porém, após o retorno do Danton — o líder e irmão mais poderoso — uma corrente de acontecimentos se desdobrará, com consequências devastadoras para todos. Em A Filha do Norte – Parte II, você irá adentrar no passado dessa protagonista e desvendar as razões dos seus sonhos e medos mais aterrorizantes. No momento em que as feridas de Michelle pareciam prontas para serem cicatrizadas, tudo virá à tona novamente para atormentá-la e ela descobrirá que a verdadeira força, na verdade, sempre esteve ao seu lado, travando uma luta em prol daqueles que ama.

Aprendendo a gostar de si mesmo
(Louise Hay)
Ano: 2001 / Páginas: 80
Editora: Sextante
Gênero: Autoajuda
Sinopse: Amar a nós mesmos parece simples, mas às vezes é muito difícil. Eu gostaria de ensinar algumas maneiras que descobri para aprendermos a nos amar melhor. E quero insistir carinhosamente para que vocês as pratiquem sempre, porque as mudanças que elas podem proporcionar são impressionantes.
O que você faz para que as pessoas que você ama tenham consciência de seu valor e de suas virtudes? Provavelmente as enche de elogios e evita fazer comentários que as magoem.
Agora responda: o que você faz para ter consciência do seu valor? Por que é tão difícil tratar a nós mesmos com o carinho e o respeito que dedicamos aos outros?
Com delicadeza e sabedoria, Louise Hay nos faz perceber como minamos nossa autoestima com pequenas atitudes do dia a dia. Cada vez que temos um pensamento negativo sobre nós mesmos, nosso amor-próprio sofre um enorme abalo e, com isso tendemos a nos desvalorizar ainda mais.
Em 11 passos simples e transformadores, a autora ensina como interromper esse ciclo, resgatar nossa autoestima e retomar as rédeas de nossa vida.
Quando aprendemos a amar a nós mesmos, aceitando-nos exatamente como somos, entramos em sintonia com o Universo e com toda a energia positiva que ele pode nos oferecer.
O amor é respeitoso, generoso, solidário e cheio de compaixão. Quem ama a si mesmo entra em sintonia com o universo no que ele tem de melhor, e tudo flui em sua vida.

Crimbfuor - Chegada a Atrithar
(Mike Ross)
Ano: 2013 / Páginas: 295
Editora: Giostri
Gênero: Ficção
Sinopse: Quando Peter Wine volta para casa sem memória, após ter entrado na Mansão Crimbfuor, James Tombbey começa a suspeitar que talvez a casa em frente a sua seja realmente perigosa. Conversas com Serafina, uma vizinha que sabe mais do que demonstra, e mensagens de uma ruiva misteriosa corroboram para deixá-lo ainda mais intrigado. Mas, somente quando a mãe de James é atingida, o garoto se vê forçado a invadir a mansão em busca de algo que ele mesmo não sabe o que é. Juntamente com sua amiga, Judith, e o menino, Ted, James descobre que o portal para um mundo fantástico o espera dentro daquelas paredes. Novas identidades, aventuras, desafios e perigos é o que encontrarão em Atrithar.

Mantenha o Seu Cérebro Vivo - Exercícios neuróbicos para ajudar a prevenir a perda de memória e aumentar a capacidade mental
(Lawrence Katz e Manning Rubin)
Ano: 2000 / Páginas: 142
Editora: Sextante
Gênero: Bem estar e lazer / Medicina e Saúde
Sinopse: Apresenta a Neuróbica, um extraordinário programa de exercícios para o CÉREBRO, baseado nas últimas pesquisas da neurociência. Esses exercícios ajudam a estimular a produção de nutrientes que desenvolvem as células do cérebro, tornando-o mais jovem e forte, e podem ser realizados em qualquer lugar, a qualquer hora. O resultado: uma mente capacitada a enfrentar qualquer desafio, quer seja lembrar um nome, aprender um novo programa de computador, ou permanecer criativo no trabalho e em todos os setores de sua vida.

Meu Maior Presente
(Mila Wander)
Ano: 2017 / Páginas: 352
Editora: Essência
Gênero: Ficção / Literatura Brasileira / Romance
Sinopse: Lucas – “Não escolhemos o amor, é ele quem nos escolhe. Mas e se essa escolha estiver errada? ”
A história de um amor proibido, escrita pela mesma autora do sucesso O Safado do 105 Lucas foi abandonado num orfanato e só aos nove anos de idade ganhou o presente que mais desejava: uma família. Mel nasceu na família perfeita. Seu pai, sua mãe e seu irmão, dez anos mais velho, a amavam. Ela era o xodó dos Carvalho Lemos. O que ninguém esperava era que, na adolescência, Mel começasse a olhar de um jeito diferente para Lucas, seu irmão adotivo, seu protetor, seu motorista de baladas, seu confidente. Ele também a percebeu diferente, a desejou e seu amor fraterno se transformou em outra coisa. Lucas, porém, não podia deixar que esse novo e assustador sentimento arruinasse seu sonho de ser amado por uma família. Mas o que fazer com a vontade de seu coração e seus desejos? Mel, com certeza, sabia o que fazer. Mel – “Só me sinto viva com você. Só me encontro em você. ”

1000 LUGARES PARA CONHECER ANTES DE MORRER
(Patricia Schultz)
Ano: 2015 / Páginas: 1200
Editora: Sextante
Gênero: Bem estar e lazer
Sinopse: Com mais de 3 milhões de livros vendidos no mundo, 1.000 lugares para conhecer antes de morrer ganha uma nova edição ampliada, atualizada e com fotos coloridas.
Primeiro lugar na lista do The New York Times.
Mais de 300 mil exemplares vendidos da primeira edição brasileira.
“Um livro que lhe diz o que é belo, inspirador, divertido e inesquecível em todas as partes do mundo.” – Newsweek
Há belezas inigualáveis no nosso planeta. Vivenciá-las é um exercício que inclui descobrir outros lugares, línguas, culturas e pessoas. Mais do que um guia de viagens, 1.000 lugares para conhecer antes de morrer é um catálogo para essas experiências memoráveis.
Desfrutar os temperos, cores e aromas do Yacout, no Marrocos. Arrebatar-se com a beleza das esculturas de gelo do Festival de Neve de Sapporo, no Japão. Sobrevoar Masai Mara em um balão e assistir a milhares de gnus percorrerem o Serengeti. Aproveitar a mesma paisagem que inspirou Miró, na costa de Amalfi, na Itália. Estar presente no Festival Internacional de Cinema de Toronto, no Canadá. Navegar pelo rio Negro até seu encontro com as águas do Solimões, formando o rio Amazonas.
Cada verbete deste guia atualizado, ampliado e com imagens coloridas ajudará sua viagem a ficar completa, informando a época mais apropriada para visitar o destino escolhido, assim como os melhores restaurantes e os HOTÉIS mais elogiados da região.
Entre ruínas sagradas, recifes de corais, praias desertas, trilhas, óperas, castelos e museus, o mundo está a seu alcance para ser descoberto.
Então faça sua lista de lugares preferidos, arrume suas malas, pegue seu passaporte e boa viagem.

Nunca Desista de seus Sonhos
(Augusto Cury)
Ano: 2004 / Páginas: 160
Editora: Sextante
Gênero: Autoajuda
Sinopse: Com mais de um milhão de livros vendidos sobre temas como crescimento pessoal, inteligência e qualidade de vida, o psiquiatra Augusto Cury debruça-se aqui sobre nossa capacidade de sonhar e o quanto ela é fundamental na realização de nossos projetos de vida. Os sonhos são como uma bússola, indicando os caminhos que seguiremos e as metas que queremos alcançar. São eles que nos impulsionam, nos fortalecem e nos permitem crescer. Se os sonhos são pequenos, nossas possibilidades de sucesso também serão limitadas. Desistir dos sonhos é abrir mão da felicidade porque quem não persegue seus objetivos está condenado a fracassar 100 % das vezes. Analisando a trajetória vitoriosa de grandes sonhadores, como Jesus Cristo, Abraão Lincoln e Martin Luther King, Cury nos faz repensar nossa vida e nos inspira a não deixar nossos sonhos morrerem.

O Ócio Criativo
(Domenico de Masi)
Ano: 2000 / Páginas: 345
Editora: Sextante
Gênero: Sociologia
Sinopse: Domenico De Masi expôs suas idéias sobre a sociedade e o trabalho em diversos livros destinados aos amantes da Sociologia, como "A Emoção e a Regra" e "O Futuro do Trabalho".
Atento ao crescente interesse de um público mais amplo em seus conceitos e sua visão do futuro, De Masi elabora de forma acessível neste livro os temas da sociedade pós-industrial, do desenvolvimento sem emprego, da globalização, da criatividade e do tempo livre.
Insatisfeito com o modelo social centrado na idolatria do trabalho, ele propõe um novo modelo baseado na simultaneidade entre trabalho, estudo e lazer, no qual os indivíduos são educados a privilegiar a satisfação de necessidades radicais, como a introspecção, a amizade, o amor, as atividades lúdicas e a convivência.
Segundo De Masi, "o ócio pode transformar-se em violência, neurose, vício e preguiça, mas pode também elevar-se para a arte, a criatividade e a liberdade. É no tempo livre que passamos a maior parte de nossos dias e é nele que devemos concentrar nossas potencialidades".

Porcelana - Rubrum Luna
(Géssica Marques)
Ano: 2017 / Páginas: 220
Editora: Young Editorial
Gênero: Erótico / Ficção
Sinopse: Nos corações dos habitantes de Centralia, vivem superstições que só poderiam existir em seus mais profundos pesadelos, ou na sombria floresta que cerca toda a cidade, um fato em que todos temem acreditar.
Com a proximidade do Rubrum Luna, a cidade fica agitada com seus novos visitantes, que além de turistas, podem acabar fazendo parte do banquete principal. Com planos de assumir seu tão desejado lugar junto a corte dos vampiros, Violet Demons se depara com seu tenebroso passado, fazendo com que suas habilidades mais sombrias e poderosas venham tomar parte de sua personalidade.
Morte e luxúria não são suficientes para descrever os desejos de Violet

sexta-feira, 16 de junho de 2017

AVALIANDO COISAS - OS TRÊS MOSQUETEIROS - ALEXANDRE DUMAS

Os Três Mosqueteiros
Alexandre Dumas
1844

SINOPSE: A história se passa na França de 1620, no reinado de Luís XIII, com o Cardeal Richelieu como sua Eminência parda. Os mosqueteiros do rei, Athos, Porthos, Aramis, e nosso herói D’Artagnan se digladiam com os inimigos da Coroa e da vida: Milady, linda, atraente e mortal; o Cardeal e seus guardas; e o excesso de vinho.
Com destreza e coragem, manejando suas espadas, os mosqueteiros encantam e namoram as mulheres que encontram ao longo de sua jornada. Dumas combina história e imaginação, escrevendo um romance no qual a hostilidade desafia a coragem, e o bem vence!
Embarque nestas inesquecíveis peripécias. Viva com eles o possível e o impossível.
Deixe a história reviver em você!
OPINIÃO: Antes de começar, vou mencionar algumas coisas por que este clássico é especial para mim.
Em primeiro lugar, eu sou fã declarado da história de D’Artagnan e os três mosqueteiros. Tanto que já li uma versão mais antiga na faculdade, mas o que me fez apreciar o clássico de Dumas foram suas adaptações cinematográficas - assistidas em sua maioria por mim, exceto a série. Por fim, é o segundo livro adaptado e ilustrado da Editora Abril que leio, porém, diferentemente do primeiro: Ben-Hur, este eu apreciei.
“Guinho, em um livro adaptado muitas páginas são tiradas e como fã declarado, é notável que pudesse reclamar disso. Mas, então por que você gostou?”
Bom, meu caro visualizador, apesar da ausência de 453 páginas (o texto original tem 634, já o adaptado para o português possui 181), a versão cheia de informações da Editora me ajudou saber uma coisa que não havia notado na primeira vez que o li e que me deixou embasbacado: o autor misturou personas reais e imaginárias na história.
Sim! O rei Luís XIII da França, a rainha Ana da Áustria, o Cardeal Richelieu e o Duque de Buckingham realmente existiram. Pasmos? Eu também fiquei. :@
Também tem o instigante enredo que Dumas nos apresenta e que grande parte dos apreciadores da literatura clássica conhece. O ponto principal é o enfoque não somente nos heróis de capa e espada do título, mas também nos vilões, como por exemplo: a pérfida e sedutora Milady que para mim é a melhor antagonista de todos os tempos da literatura. Falando das personagens principais, - os três mosqueteiros e D’Artagnan - mesmo sendo caricaturas de heróis românticos, são necessárias para transpor o leitor para o mundo de aventuras, romances e camaradagem que o autor cria.
As duas únicas ressalvas que faço são: a ingenuidade do gascão, que em muitas vezes me irritou, pois ele era volúvel a seus sentimentos por alguém e por isso, se apaixonava pela primeira mulher que encontrava pela frente. Como no trecho a seguir, quando o mesmo declara seu amor a Sra. Bonacieux - uma dama casada que havia acabado de conhecer:

"- E quanto aos meus sentimentos? Faz a mesma promessa ao meu amor? - perguntou d'Artagnan, alegre.
- Por enquanto, senhor, estou no sentimento de gratidão. Não posso assegurar nada sobre o futuro."      

Já na parte gráfica do texto, uma coisa que me incomodou muito foi o excessivo uso das vírgulas que em alguns momentos atrapalhou, principalmente nas paradas, a minha leitura.
Apesar dessas duas exceções, quero primeiramente parabenizar a Editora Abril pelas informações adicionais que me ajudaram a entender melhor o contexto da época em que se passava a história e as lindas ilustrações que dão um grande entendimento da narrativa.
Para os que nunca leram? Recomendo ler e conhecer um dos melhores livros da literatura clássica mundial.
Já os que leram? Releiam e adentrem novamente na vida cheia de aventuras, romances e camaradagem dos três mosqueteiros e de D’Artagnan.  

NOTA: 9,0


sábado, 10 de junho de 2017

AJUDE A KATE WILLIANS!!!!

Olá queridos e queridas!
Tudo bem com vocês?

Bom, hoje teremos mais uma campanha pela frente. A segunda seguida deste blog, hein? Estou muito feliz com isso! ^^
Mas o que mais me deixa feliz é que... (rufem os tambores!!!!) eu, depois de várias postagens sobre ela, não me preocupar em dizer aqui que sou amigo da autora Kate Willians! Aplausos! hahahaha
Então, depois dessa brincadeira inicial, vamos para a coisa séria, né? :)

Em meados do final de maio, a minha amiga visitou o Colégio Estadual Francisco João Lemes de São José dos Campos-SP (tem fotos da visita no perfil da mesma, que deixarei o link aqui embaixo) e mesmo o dia sendo maravilhoso, percebeu que lá as crianças são carentes, tanto que para se ter uma ideia muitos ali nem tem tênis para ir a escola. Por isso, ela quer arrecadar brinquedos novos e livros até setembro para doar a eles no dia das crianças. E é aí que você entra, caro visualizador? Como?
Sei que está difícil e que estamos passando uma crise na economia, mas se você, caro pai, mãe e ou pré-adolescente que me visualiza, tem um brinquedo em bom-estado e que neste momento está jogado no fundo de um baú ou no guarda-roupa? Ou você que gosta de ler e está com um livro faz tempo na estante e acha que nunca vai lê-lo? Que tal doá-los e fazer uma criança ou um pré-adolescente feliz, hein? :)
"Guinho, eu quero ajudar, mas suas informações são muito vagas. Como eu faço?". Já estava estranhando vocês não perguntarem nada, hein? hahaha
Bom, meus queridos, além do número do WhatsApp que está na montagem, vou deixar em baixo links para vocês entrarem em contato com a Kate para saber como participar, tá?
E antes que me perguntem algo, eu vou ajudar também! Então façam como eu e ajudem a alegrar o dia de uma criança! <3
      
Links para informações para falar com a Kate

Instagram: @katewillians

terça-feira, 6 de junho de 2017

INDICANDO - MADRUGADA MACABRA - SORAYA ABUCHAIM

Olá trevosos e trevosas.
Tudo bem com vocês?

Chegamos em junho!!! Meu DEUS! Estamos na metade do ano!!! :@
Podemos ter passado de mês, mas a postagem terá o mesmo tema das duas anteriores: hoje indicarei um conto!
"Está na fase dos contos, Guinho?", vocês são danados, hein? hahahahaha
Sim, meus caros, além de ter terminado um recentemente - por isso, o motivo de mais um sumiço - eu indiquei um livro, vocês se lembram, né? rs
O conto que eu indicarei hoje é o MADRUGADA MACABRA da magnífica escritora SORAYA ABUCHAIM!


"Mas Guinho, com esse nome e essa capa só pode ser conto de terror ou suspense, né? Eu tenho medo!", você que, assim como eu, tem pavor desses gêneros deve estar se perguntando. 
Confesso que antes de lê-lo, fiquei com certo receio, porém, depois de finalizá-lo, tive uma surpresa fantástica: ele é genial. Claro que tem seus momentos gore, que vão fazer a bile subir e descer pela garganta, mas a escrita da autora é fantástica. Por que ela consegue em 31 páginas fazer uma história de terror psicológica se transformar num enredo cheio de reviravoltas e personagens instigantes, as descrições são poéticas que amenizam o tom sombrio e um final... de cair o queixo. Bom, vou parar por aqui, pois não quero dar spoiler né? rs
Se eu recomendo, lógico que sim! E ainda acrescento para você, meu caro visualizador medroso: quando você ler não vai parar. :) 
Tanto que estou deixando os links para compra aqui e também os contatos da autora para você bater um papo com ela após lê-lo, ok? ^^

 Imagem tirada do blog: http://gatitaecia.blogspot.com.br/
 





Instagram: @sorayaabuchaimescritora


domingo, 28 de maio de 2017

ANTOLOGIA: OS ANIMAIS TAMBÉM VÃO PARA O CÉU - Editora Sinna

Olá auxiliadores e auxiliadoras de animaizinhos!
Tudo bem?

Antes de começarmos, tenho que falar uma coisinha com vocês...
Todo mundo sabe que não curto expor minha vida pessoal e os meus problemas aqui, mas, por causa dos que me visualizam e comentam minhas postagens, resolvi dizer, sem detalhes, que ultimamente não tenho vivido uma fase muito legal na minha vida. Com isso, a inspiração não vem e alguns textos deste blog estão sendo feitos de qualquer jeito, sabem? E, confesso, que isso tem me incomodado muito por que desde que comecei a postar coisas como blogueiro sempre pensei, além de divulgar autores, em entretê-los. Por isso, em meu nome, peço desculpas a todos pela falta de inspiração em alguns textos! :)

Depois dos esclarecimentos, vamos aos negócios, né?
Para quem me acompanha aqui, eu disse, no início da última postagem, que, por causa de estar tentando escrever um conto, tinha ficado ausente alguns dias e disse que revelaria o motivo disso na próxima vez, lembram? Então, o momento chegou!!!!

A Editora Sinna juntamente com a autora Camila Pelegrini, dos sucessos "SOMBRAS DO MEDO" e "AOS OLHOS DE ZOE" estão organizando a antologia: OS ANIMAIS TAMBÉM VÃO PARA O CÉU. Além da já citada organizadora, terão contos de Katerine Grinaldi, Tabatha Cuzziol, Décio Gomes, Italo Natã, Evelyn Santana, Michal Vasconcelos, Bruno Godoi, Irina Nikolaievich, Malu Ghiraldeli e Martha Ricas. Autores tão incríveis que TENHO CERTEZA que o farão se apaixonar mais ainda pelos pets com histórias emocionantes e cheias de amor. Junto deles terão mais alguns que serão escolhidos e daí que entra o meu motivo de estar escrevendo o conto, entendem?
Depois dessa frase, você deve estar pensando bobagem, por isso vou explicar o real motivo de eu estar participando, antes que alguma pergunta apareça! :@
Bom, é que além de todos os autores - convidados ou escolhidos - estarem oferecendo seus textos gratuitamente, toda a renda da venda do livro será revertida para instituições que visam o cuidado dos cãezinhos ou gatinhos que são retirados das ruas e bem tratados para que possam ser adotados para serem amados.
"Mas Guinho como posso ajudar se a antologia não está pronta ainda?", a pergunta chegou!!!!
Meu caro visualizador, você já pode ajudar, como?

É só entrar neste link e contribuir:
https://www.catarse.me/os_animais_tambem_vao_ao_ceu_e7d6

O melhor é que a Editora Sinna e a Camila Pelegrini ficaram tão agradecidos com a sua ajuda que, conforme o valor que você contribuir, lhe darão livros, você terá o nome dos agradecimentos, poderá ganhar marcadores, cartões, chaveiros, ecobags, canecas e o melhor, mimos para o seu pet.
Não é demais? ^^
Então o que está esperando? Doe e salve um animalzinho! <3






  



 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

INDICANDO - QUASI DI VERDADI - KELLY CHRISTI

Olá visualizadores e visualizadoras.
Tudo certo com vocês??

Dei uma sumida, né? Então, vamos as típicas explicações!!! hahahaha
Além de problemas pessoais que vem acarretando em minha saúde, estou escrevendo um conto para uma Antologia. Mas isso é assunto para as próximas postagens. Bom, depois desses rápidos esclarecimentos vamos começar...

Primeiramente, vou contar uma história!
A autora me procurou em abril me pedindo divulgação de seu novo livro que seria lançado no mês, mas devido a falta de tempo com o Litera Abril, o Pequena Ajuda e coisas particulares não pude fazer aquilo naquele instante, apesar de ter aceitado o pedido. Então, depois de ter concretizado minhas tarefas, resolvi ler a obra que a mesma me enviou no formato PDF em um final de semana e de uma sessão "NOVOS TALENTOS", 'Quasi di Verdadi' se transformou em uma indicação. Porém, como a autora não apareceu aqui ainda, a classificarei como um novo talento também. Por isso, vamos conhecê-la?
 
Kelly Christi nasceu em Santo André, no ABC-Paulista, começou a escrever para revistas independentes e diários escondidos, ainda na adolescência. Formou-se em linguística, na Universidade Federal de São Carlos-UFSCar e se especializou em comunicação, é jornalista e editora de textos para mídia digital, passando por veículos de boa circulação. Além de contos, escreve crônicas no blog Pequenos Deleites em uma linguagem leve e bem-humorada.

Depois de já apresentada, agora vou dizer o motivo da indicação de sua obra.
Bom, para ser sincero, não sou fã de poesias, crônicas e contos (apesar de ter alguns poemas meus aqui  e estar escrevendo um conto) por que acho que não tenho tanta facilidade como nas histórias de ficção e também, levando em conta os livros que li, estes gêneros literários são geralmente tomados de formas poéticas e cunhados de acidez política. Mas 'Quasi di Verdadi' mudou a minha opinião sobre isso.
"Guinho, o que te fez mudar?", sabia que vocês não ficariam sem perguntar.
Apesar da obra ser uma reunião de contos - com os elementos clichês citados acima -, Kelly os escreve com tanta simplicidade e realismo que dá a ideia de alguém muito sensível estar reparando pequenas coisas além das 'correrias' metropolitanas e estar as relatando em um diário. 
Tenho que dar o braço a torcer em relação a editora Litteral - coisa que não faço aqui, por que não menciono editoras - que acertou na escolha do desenho da capa e nas cores do livro. A arte do desenho e as cores púrpura do seu interior e o branco das letras deu um ar urbano para a obra. Corro o risco de dizer que quando estava lendo o livro, imaginei estar andando na rua e vi paredes sendo pichadas com os contos.
Bem, se eu disser mais coisas vai virar mais uma resenha, né? Então vou parar por aqui! Indico por que, parafraseando o título, ao ler o livro você se sentirá 'Quasi di verdadi' por que se verá nos personagens dos contos! ^^ 
Se recomendo para adquirir? Lógico! Por isso vou deixar os links de compra no fim da postagem. Também vou deixar as redes sociais da autora para quem quiser bater um papo com ela ou simplesmente conhecê-la mais e suas obras, ok?

 
 Link de compra do livro
Amazon : https://www.amazon.com.br/Quasi-di-Verdadi-Kelly-Christi-ebook/dp/B06Y6KSM4L

Saraiva (esse é da versão com diagramação roxinha-personalizada): http://www.saraiva.com.br/quasi-di-verdadi-9522949.html

Links da autora
Blog: http://www.facebook.com/pdeleites
Livro: http://www.facebook.com/livroquasidiverdadi
Pessoal: http://www.facebook.com/kellychristi
Instagram: @kelly_christi





   

domingo, 21 de maio de 2017

AVALIANDO COISAS - O PODEROSO CHEFÃO (FILME)

O Poderoso Chefão
Gênero: Drama\Policial
Direção: Francis Ford Coppola
Elenco: Marlon Brando, Al Pacino, Robert Duvall, Diane Keaton, James Caan, John Cazale, Richard Castellano, Talia Shire e Abe Vigoda.
Estados Unidos
1972
SINOPSE: Don Vito Corleone (Marlon Brando) é o chefe de uma "família" de Nova York que está feliz, pois Connie (Talia Shire), sua filha, se casou com Carlo (Gianni Russo). Porém, durante a festa, Bonasera (Salvatore Corsitto) é visto no escritório de Don Corleone pedindo "justiça", vingança na verdade contra membros de uma quadrilha, que espancaram barbaramente sua filha por ela ter se recusado a fazer sexo para preservar a honra. Vito discute, mas os argumentos de Bonasera o sensibilizam e ele promete que os homens, que maltrataram a filha de Bonasera não serão mortos, pois ela também não foi, mas serão severamente castigados. Vito porém deixa claro que ele pode chamar Bonasera algum dia para devolver o "favor". Do lado de fora, no meio da festa, está o terceiro filho de Vito, Michael (Al Pacino), um capitão da marinha muito decorado que há pouco voltou da 2ª Guerra Mundial. Universitário educado, sensível e perceptivo, ele quase não é notado pela maioria dos presentes, com exceção de uma namorada da faculdade, Kay Adams (Diane Keaton), que não tem descendência italiana mas que ele ama. Em contrapartida há alguém que é bem notado, Johnny Fontane (Al Martino), um cantor de baladas românticas que provoca gritos entre as jovens que beiram a histeria. Don Corleone já o tinha ajudado, quando Johnny ainda estava em começo de carreira e estava preso por um contrato com o líder de uma grande banda, mas a carreira de Johnny deslanchou e ele queria fazer uma carreira solo. Por ser seu padrinho Vito foi procurar o líder da banda e ofereceu 10 mil dólares para deixar Johnny sair, mas teve o pedido recusado. Assim, no dia seguinte Vito voltou acompanhado por Luca Brasi (Lenny Montana), um capanga, e após uma hora ele assinou a liberação por apenas mil dólares, mas havia um detalhe: nas "negociações" Luca colocou uma arma na cabeça do líder da banda. Agora, no meio da alegria da festa, Johnny quer falar algo sério com Vito, pois precisa conseguir o principal papel em um filme para levantar sua carreira, mas o chefe do estúdio, Jack Woltz (John Marley), nem pensa em contratá-lo. Nervoso, Johnny começa a chorar e Vito, irritado, o esbofeteia, mas promete que ele conseguirá o almejado papel. Enquanto a festa continua acontecendo, Don Corleone comunica a Tom Hagen (Robert Duvall), seu filho adotivo que atua como conselheiro, que Carlo terá um emprego mas nada muito importante, e que os "negócios" não devem ser discutidos na sua frente. Os verdadeiros problemas começam para Vito quando Sollozzo (Al Lettieri), um gângster que tem apoio de uma família rival, encabeçada por Phillip Tattaglia (Victor Rendina) e seu filho Bruno (Tony Giorgio). Sollozzo, em uma reunião com Vito, Sonny e outros, conta para a família que ele pretende estabelecer um grande esquema de vendas de narcóticos em Nova York, mas exige permissão e proteção política de Vito para agir. Don Corleone odeia esta idéia, pois está satisfeito em operar com jogo, mulheres e proteção, mas isto será apenas a ponta do iceberg de uma mortal luta entre as "famílias".
OPINIÃO: Para começar, devo dizer que acho ‘O PODEROSO CHEFÃO’ a melhor trilogia cinematográfica de todos os tempos, tanto que até fiz uma TAG literária aqui relacionada a este tema. Mas, apesar de ter feito maratona na primeira vez que o assisti, resolvi falar somente do primeiro filme que, para mim, é o melhor dos três. Porém, durante a resenha responderei por que acho isso.
Como todo mundo sabe, ‘O PODEROSO CHEFÃO’ é baseado num livro com o mesmo nome escrito por Mario Puzo que também o roteiriza junto ao diretor Francis Ford Coppola. A história basicamente fala das desventuras de uma família italiana que vive nos Estados Unidos pós-segunda Guerra Mundial através de negócios ilegais com jogos e mulheres.
Lendo isso você pode pensar: “Ah, Guinho! Mais um filme de máfia onde um monte de homem briga por dinheiro?!” Sim, meu caro e minha cara, tu tem razão, existe este elemento durante a película. Entretanto há componentes que excluem esse estereótipo mencionado por ti.
O filme tem indícios de ser da máfia: extrema violência, armas, palavrão..., mas o tom dramático inserido na narrativa ameniza isso, tanto que a palavra ‘máfia’ é substituída por ‘família’ pelos roteiristas, deixando o telespectador membro dos Corleone. Não posso esquecer de jeito algum, as sub-tramas que evidenciam o que acabei de mencionar: o patriarca, já em idade avançada, não consegue cuidar dos negócios e tem que procurar um substituto; o filho mais novo que tenta a todo custo não ser igual a sua família, mas que por circunstâncias do destino acaba envolto por aquilo tudo; a fidelidade dos amigos e o cumprimento das palavras... entre outras coisas.
“Meu Deus! E aquela música de início?!” Ela é tão perfeita! Por que tem a melancolia dramática e tom siciliano que o enredo precisa. Nino Rota insere, além destas versões da canção inicial, música clássica principalmente nas cenas primordiais deixando o filme uma obra de arte.
Para ser sincero, o filme é longo - duas horas e cinquenta e cinco minutos -, mas você não se sente cansado ou com sono por que o longa não é maçante. Como tem também um tom dramático, já citado aqui, algumas cenas podem ser paradas com muitos diálogos, mas, de repente: ‘BUM’, acontece alguma coisa e agita o enredo, por isso os ‘takes’ de uma cena para outra são rápidos. Eu não posso deixar de citar a fotografia excelente que nos momentos dramáticos – nas mortes, principalmente - é bem sombrio e nos alegres, como no casamento de Connie, tons mais vivos de luz.                
Francis Ford Coppola foi incrível em todo o filme. Mas tenho que ressaltar o seu ‘casting’ de atores. Uma coisa que não posso deixar de parabeniza-lo é de ele ter ‘brigado’ com a produtora e ter escalado o saudoso e gênio ator Marlon Brando, apesar das inúmeras polêmicas - aliás, uma que causou após ter ganhado o Oscar deste mesmo filme – por que deu vida a Vito Corleone, um dos personagens mais icônicos da cultura Pop. Outra menção é o fato de o diretor deixar que os atores improvisassem, tanto que o gato da primeira cena não estava no roteiro e o ensaio nervoso de Lenny Montana, intérprete do fiel Luca Brasi, se tornou parte da película.
Mesmo depois de tudo que citei aí em cima, você ainda continuar duvidando de mim, vou citar alguns argumentos que mostram o motivo do primeiro filme da TRILOGIA: O PODEROSO CHEFÃO ser o motivo de eu ter o escolhido:

- Foi indicado 11 vezes ao Oscar ganhando em três categorias, incluindo Melhor Filme e melhor ator para Marlon Brando;
- Ganhou Bafta e Globo de Ouro, repetindo a dobradinha no Oscar de Filme, Ator e Roteiro Adaptado para Mario Puzo e Francis Ford Coppola.
- É considerado “culturalmente, historicamente e esteticamente significante” e selecionado pela Biblioteca do Congresso para ser preservado no National Film Registry.
- O American Film Institute apontou-o como o melhor filme de gângster de todos os tempos e o segundo melhor filme da história na lista dos melhores filmes norte-americanos.
- ‘O Poderoso Chefão’ é um dos mais aclamados e mais importantes filmes da história do cinema.
- Apesar de ser de 1972, não é datado e algumas cenas ou personagens, como a inicial – já citada aqui – são mencionados por alguns programas de TV como a série “Eu, a Patroa e as Crianças” e o seriado “Os Simpsons”.
- Tem as frases mais lembradas e de cunho filosófico e social, que, para ser sincero, podem ser usadas em qualquer situação da nossa vida cotidiana. Por exemplo: “Um homem que não se dedica à família jamais será um homem de verdade.”; “Deixe que seus amigos subestimem suas qualidades e que seus inimigos superestimem seus defeitos.” e “Todo o poder do mundo não pode mudar o destino.”           

Se ainda não se convenceu com todos esses argumentos, assista esta obra-prima e tire suas conclusões. Garanto que não se arrependerá! 
NOTA: 10